FÁBRICA DA HEINEKEN EM PASSOS DEVE GERAR 11 MIL EMPREGOS E PRODUZIR AMSTEL

Investimento será de R$1,8 bilhão, segundo a empresa; obras devem ser finalizadas em 2025


A fábrica da Heineken, em Passos, no Sul de Minas Gerais, também vai produzir a cerveja Amstel - rótulo que pertence à empresa holandesa. O anúncio foi feito em evento, nesta quarta-feira (27), que detalhou a operação. A estimativa é que o empreendimento resulte em 350 empregos diretos, além de 11 mil postos de trabalho indiretos na região.

De acordo com o presidente do grupo Heineken no Brasil, Maurício Giamellaro, a expectativa é de que as obras sejam finalizadas em 2025. O investimento está avaliado em R$1,8 bilhão. “Já estamos correndo para antecipar esse cronograma, para celebrar no máximo em dois anos a nossa cervejaria”, ressaltou.

O presidente também relembrou as propostas recebidas por mais de 200 prefeituras mineiras, após a desistência da instalação da fábrica em Pedro Leopoldo. Projeções iniciais da empresa apontam para uma capacidade produtiva de 5 milhões de hectolitros anualmente. Durante o evento, a empresa assinou um Termo de Compromisso Ambiental com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e o Ministério Público Federal (MPF).

Os detalhes do documento não foram relevados. “A empresa chega tranquila, segura e com segurança jurídica para desenvolver suas atividades sem se preocupar com o MP”, afirmou Jarbas Soares, procurador-geral de Justiça e chefe do MPMG. A preocupação ambiental foi um dos principais pontos de avaliação da empresa durante a escolha da nova cidade, após os problemas enfrentados em Pedro Leopoldo.

O projeto para instalação da fábrica da Heineken na cidade da Grande BH, segundo avaliação de ambientalistas e do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), poderia resultar danos às cavidades do sítio arqueológico de Lapa Verma e à Área de Proteção Ambiental Carste de Lagoa Santa. Segundo o presidente da cervejaria, a opção por deixar Pedro Leopoldo foi em respeito aos envolvidos.

“Naquele momento precisamos respeitar as decisões de todos esses órgãos e junto com o governo de Minas tomando a decisão corajosa de mudar a cervejaria de lugar. E não porque Pedro Leopoldo não tenha respeito da Heineken, mas porque todos os órgãos envolvidos e consumidores tinham de estar envolvidos”, afirmou Maurício Giamellaro.

Presente na solenidade, o governador Romeu Zema (Novo) fez um brinde com os representantes da cervejaria e com o prefeito de Passos, Diego Oliveira (PSL), para comemorar a manutenção da fábrica da empresa no estado.

Segundo Zema, a instalação da cervejaria deverá abrir caminho para que outras empresas cheguem à cidade. “Pessoas que hoje não têm renda, passarão a ter e a prefeitura também passa a ter uma fonte adicional de arrecadação. Geralmente onde se tem cervejaria, você tem fornecedores de matéria prima, jardinagem, garrafas, latas, alimentação. É um ciclo virtuoso que permanece”, destacou o governador.

Vagas Relacionadas